( )

rua leve, com o cartão das chamas separando
a tão nítida memória
de nenhum ar sobre as paredes lisas,

os edifícios, ou seria talvez
um resto de águas, de vísceras, de moles
razões medidas de durar,

o rosto submetido, com os poucos
saberes de um dia em que, subitamente,
as árvores do mar unânimes galgaram
a sombra dos segredos;

rua de dia sobre dia ardendo
lúcida, nua, quase completa de
janelas pequenas; e depois,
azul possivelmente, o mar.


António Franco Alexandre


Lisboa

~ por salamandrine em Fevereiro 26, 2009.

2 Respostas to “( )”

  1. Tão bonito este post. :)

  2. um resumo dos dias :)***

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

 
%d bloggers like this: