a falácia

É uma falácia elementar concluir que, pelo facto de numa democracia os políticos representarem as pessoas, os políticos são pessoas representativas. A vida confinada do político característico parece-se muito com a vida numa casta militar ou na Mafia ou nas quadrilhas de Kurosawa. A pessoa começa a carreira na base da escada, fazendo recados e espiando; depois de provada a sua lealdade, obediência e disposição para suportar as humilhações rituais, recebe o baptismo de sangue no bando propriamente dito; a partir daí o primeiro dever da pessoa é para com o chefe da quadrilha.


J. M. Coetzee, Diário de Um Mau Ano

tradução de J. Teixeira de Aguilar, Dom Quixote

~ por salamandrine em Março 12, 2009.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

 
%d bloggers like this: