a ti pergunto

Agora a ti pergunto: pode-se viver sem amor? pode-se viver sem um objecto de amor, digo de conquista, de entrega, de surpresa, de sangue e nervos, mesmo só imaginado ou desejado em sonhos? Pode-se viver sem uma esperança? Estás ou estarias tu ainda vivo sem isso? o teu poema de hoje não é o sinal da tua SAÚDE? Melancólico ou funéreo, não é ainda VIDA TUA?


Luiz Pacheco
carta a Mário Cesariny


Pacheco versus Cesariny, Luiz Pacheco
Editorial Estampa

Anúncios

~ por salamandrine em Maio 2, 2009.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

 
%d bloggers like this: