Histórias da emigração « O Caderno de Saramago


(…)

Os sobreviventes dos novos naufrágios, os que puseram pé em terra e não foram expulsos, terão à sua espera o eterno calvário da exploração, da intolerância, do racismo, do ódio à pele, da suspeita, do rebaixamento moral. Aquele que antes havia sido explorado e perdeu a memória de o ter sido, explorará. Aquele que foi desprezado e finge tê-lo esquecido, refinará o seu próprio desprezar. Aquele a quem ontem rebaixaram, rebaixará hoje com mais rancor. E ei-los, todos juntos, a atirar pedras a quem chega à margem de cá do Bidassoa, como se nunca tivessem eles emigrado, ou os pais, ou os avós, como se nunca tivessem sofrido de fome e de desespero, de angústia e de medo. Em verdade, em verdade vos digo, há certas maneiras de ser feliz que são simplesmente odiosas.

 

José Saramago.

Anúncios

~ por salamandrine em Julho 17, 2009.

5 Respostas to “Histórias da emigração « O Caderno de Saramago”

  1. O melhor texto que li sobre emigração, acolhimento, imigrante e refugiados.
    Gostaria de ser autorizada a divulgá-lo no pequeno jornal on line da ComuniDária.org.
    Penso que toda Europa deveria refletir sobre esta visão tão realista de José Saramago. E Portugal ainda mais, sendo um país de emigrantes que passou a receber imigrantes na última década, na maioria da África e Brasil e o impacto que terá nos próximos anos este tipo de tratamento recebido.

  2. O melhor será contactar directamente o Caderno de Saramago que pode encontrar no link:

    http://caderno.josesaramago.org/

    como pode calcular, não tenho quaisquer direitos para ceder palavras que não são minhas :)

  3. Gostaria de sugerir a todos esta animacao relacionada nao so com a envolvente texto acima mas com tudo que Saramago escreve. Veja trascrito abaixo se necessario.

    http://www.global-mindshift.org/memes/wombat.swf

    Elton Uliana

    You all, listen up:
    This is your home, it’s the only one you’ve got.
    This place is pretty ( the sun) but you can’t live there, you cant even get there.
    So I repeat: This is your home, it’s the only one you’ve got. Cherish and protect it , it’s the only one you gonna get.
    These guys, they are your neighbours, they ain’t going away, they ain’t leaving. You have to get along with them, so you have to learn to share. You have to get along, you have to learn to get along, you have to learn to get along. Because they are your neighbours, they are not going away.
    Ok, all this stuff, the animals, the water,the sky, the ground, the buds, the fish, the tacos, the people, they are all connected. Everything is connected, they all depend on one another. If you ignore that, your doomed. Repeat: doomed.
    So, listen up, it’s all one. Not two worlds, not three, one. Only one.
    So get it in gear, remember: all is one, ok?

  4. ok. good for you.

  5. Li este belíssimo texto num jornal português e fiquei profundamente tocada pelas suas exactas e claras palavras. Sou filha de um homem e de uma mulher que, aos 40 anos, no longínquo início da década de 60, emigraram para França para que os filhos pudessem sair da miséria sem remédio do seu Trás-os-Montes. Em nome deles lhe digo, meu querido Saramago, obrigada.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

 
%d bloggers like this: