ausência

digo-me ateia para me separar dos crentes. na verdade não sou coisa nenhuma. não creio. não tenho fé em deus nem na sua ausência. também os nomes são uma religião.

o caim de saramago é escrito por um não crente. um homem que não acredita no deus dos homens. saramago, como eu, acredita num deus criado pelo homem, à imagem do homem. saramago ofende então o homem que criou o deus violento, vingativo e mesquinho. o espelho do homem.
e o homem ofende-se com a injúria ao seu reflexo e não à que lhe é feita. o homem tão cego quanto o seu deus.

Anúncios

~ por salamandrine em Novembro 8, 2009.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

 
%d bloggers like this: