violentar um livro

contra a vontade do autor.
sei que não aprovas, mas olha, a lapiseira passou-se e não houve nada que eu pudesse fazer para o evitar.

 


 

Creio que o meu erro consiste precisamente em nunca ter aprendido a começar um poema, resumindo-se tudo à passividade com que — consinto? — que me ocupe a respiração, condicionando-me à perigosa e suspeita inocência denunciada pelos profissionais da poesia.

Os latifundiários da alma.


Jorge Fallorca, A Cicatriz do Ar
edição do autor

Anúncios

~ por salamandrine em Dezembro 11, 2010.

4 Respostas to “violentar um livro”

  1. O livro não é TEU? Caga nas manias do autor com os livros DELE :P

  2. ehehehehehe :DDD

    \o/

  3. Lapiseira assassina; nem imaginas o que me fartei de rir, Douda!

  4. por tua causa, é o que penso sempre que a aponto a um livro :P

    eheheheh

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

 
%d bloggers like this: