those little bad days

The Old King

 

Se olharmos atentamente para as dobras que desenha nas costas, ou tentarmos calcular a força a que poderiam ir as suas pernas se decidissem soltar-se do corpo, como sempre ameaçaram fazer, o que descobrimos é um corpo solitário. Um corpo que, para obedecer ao que lhe pedem, tem que se diminuir, reduzir, quase desaparecer dentro de uma estrutura que, ironicamente, quer existir à sua volta. E é por isso que quando Romeu Runa estica um braço, faz um esgar ou abre os olhos, quando afasta as pernas, se contorce ou anula, o que ele quer é perceber como pode existir.


Tiago Bartolomeu Costa

 

 

The Old King - Daniel Blaufuks

 

“This is about all the bad days in the world. I used to have some little bad days, and I kept them in a little box. And one day, I threw them out into the yard. “Oh, it’s just a couple little innocent bad days.” Well, we had a big rain. I don’t know what it was growing in but I think we used to put eggshells out there and coffee grounds, too. Don’t plant your bad days. They grow into weeks. The weeks grow into months. Before you know it you got yourself a bad year. Take it from me. Choke those little bad days. Choke ‘em down to nothin’. They’re your days. Choke ‘em!”


Tom Waits

Anúncios

~ por salamandrine em Junho 12, 2011.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

 
%d bloggers like this: