sempre o olhar dos outros.

Num artigo do Expresso desta semana, fala-se das ossadas abandonadas em cemitérios e muitas causas são avançadas, passando todas por um pensamento tradicional e tendo sempre como correcta apenas uma realidade: a que todos olhamos a morte da mesma maneira, logo também o restos mortais.

As causas avançadas são a perda da afectos, aliada a uma crise de valores crescente na sociedade, a rapidez com que vivemos, a destruição do núcleo familiar tradicional, a emigração, etc…

Nem um dos intervenientes aponta uma causa bem mais simples: acreditar que quem morre, partiu. Não são as ossadas que transportam a memória. Não é a veneração das ossadas que prova (a não ser ao olhar exterior) que se ama ou amou, que ainda lembramos e temos saudades.

O sentir pode ser apenas algo intimo e pessoal, mesmo que ainda se teime em avaliar tudo com uma visão exterior e de aparências.

Anúncios

~ por salamandrine em Outubro 30, 2011.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

 
%d bloggers like this: