Para um Futuro

O desemprego nos EUA é mais baixo do que o da muitos países europeus (mas os Americanos sem trabalho logo perdem os seus subsídios de desemprego e são retirados dos registos, pelo que estas estatísticas podem ser enganadoras). Parece que a América é melhor do que a Europa a criar postos de trabalho. Há muitos mais adultos americanos a trabalhar, e trabalham muito mais do que os europeus. O que recebem pelo esforço?
Não muito a menos que estejam em boa situação financeira. Os EUA são um excelente lugar para se ser rico. Em 1980 o director executivo médio norte-americano ganhava 40 vezes mais do que o trabalhador manual médio. Para o escalão de topo dos directores executivos a proporção agora é de 475 para 1, e seria muito maior se os bens, e não só o salário, fossem considerados. Por comparação, a proporção na Grã-Bretanha é de 24:1, na Franca 15:1, na Suécia 13:1. Uma minoria privilegiada tem acesso aos melhores cuidados médicos do mundo. Mas 45 milhões de Americanos não possuem qualquer seguro de saúde (dos países desenvolvidos do mundo, só os EUA e a África do Sul não oferecem cobertura médica universal). Segundo a Organização Mundial de Saúde, os Estados Unidos são o primeiro lugar em cuidados de saúde per capita – e o 37º lugar na qualidade do seu serviço.
Como consequência, os Norte-Americanos vivem menos do que os europeus ocidentais. Os seus filhos têm mais probabilidades de morrer na infância: os EUA ocupam o 26º lugar entre as nações industrializadas em termos de mortalidade infantil, com uma taxa que é o dobro da sueca, maior do que a eslovena, e só ligeiramente menor do que a lituana – e isso apesar de gastarem 15% dos seu PIB em «cuidados de saúde» (a maior parte escoados nas despesas administrativas das redes privadas). Em contraste a Suécia só gasta 8% do PIB em saúde. A situação na educação é muito semelhante. No conjunto, os Estados Unidos despendem muito mais em educação do que os países da Europa Ocidental; e têm de longe as melhores universidades de investigação do mundo. Contudo, um estudo recente sugere que por cada dólar gasto na educação, os EUA obtêm resultados piores do que qualquer outro país industrializado. As crianças norte-americanas apresentam regularmente resultados inferiores às europeias, em literacia e numeracia.


Tony Judt

O Século XX Esquecido

tradução de Marcelo Felix
© Edições 70

 

(bold meu)

Anúncios

~ por salamandrine em Janeiro 2, 2012.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

 
%d bloggers like this: