Jesus Blood Never Failed Me Yet

Gavin Bryars - Jesus Blood Never Failed me Yet

Fotografia: David Rato

Vista de Jesus´ blood never failed me yet (Gavin Bryars, 1971-1993) na exposição O Novo Ofício, Museu Coleção Berardo, 2012.

“Em 1971, quando vivia em Londres, um amigo meu, o Alan Power, estava a fazer um filme sobre pessoas com vidas miseráveis na zona entre Elephant and Castle e a estação de Waterloo. Ajudei a misturar algum do material áudio e depois deram-me todas as secções de fita que não tinham sido utilizadas, e que teriam sido eliminadas. Ouvi todas as fitas em casa com auscultadores.
Enquanto eram entrevistados, alguns homens começavam a cantar bêbedos – por vezes excertos de óperas, outras vezes baladas sentimentais. Mas um velho, que acabou por não aparecer no filme e que, veio-se a saber, não bebia, cantou uma canção religiosa, Jesus’ Blood Never Failed Me Yet, que eu achei muito comovente. Reparei que a canção – só com treze compassos – podia ser transformada num loop impressionante, que se repetia de uma forma algo imprevisível. Também achei que ele cantava afinado com o meu piano, e improvisei um acompanhamento simples.
Levei este loop para Leicester, onde estava a trabalhar no Departamento de Belas Artes, e copiei o frágil loop para uma bobina de fita contínua a fim de o conservar. Deixei a fita a copiar com a porta da sala de gravação aberta enquanto fui buscar um café. A porta dava para um dos grandes estúdios de pintura e, quando voltei uns minutos mais tarde, encontrei o ambiente, geralmente animado, desalentado, de forma pouco natural. As pessoas moviam-se muito mais devagar do que habitualmente e algumas estavam sentadas sozinhas, a soluçar silenciosamente. Fiquei perplexo, até que me apercebi de que a fita ainda estava a tocar e que todos tinham sido dominados pela canção do velho, o que me deixou ainda mais convencido do poder emocional da música.
Fiz um acompanhamento orquestral simples, acrescentando um grupo de cada vez, mas sempre suportando e respeitando o canto do homem e realçando a sua dignidade, humanidade e modesta fé.
Apesar de ele ter morrido antes de poder ouvir o que eu fiz com o seu canto, a peça permanece como um testemunho singelo do seu espírito e otimismo.”


Gavin Bryars, Jesus Blood Never Failed Me Yet

O Novo Oficio – Museu Berardo

Anúncios

~ por salamandrine em Julho 7, 2012.

2 Respostas to “Jesus Blood Never Failed Me Yet”

  1. claro que estive lá e claro que me passei com a mesa cheia de gira-discos. encontrei a banda sonora da laranja mecânica e misturei-a com a da música no coração. oooh pá!! \m/

  2. :D

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

 
%d bloggers like this: