( )

Entretenho-me a imaginar que os calhaus de grés são coágulos de sangue das civilizações arrasadas por uma fúria mais demencial que qualquer sismo, cismo.
E se encostar o ouvido às margens frescas e perfumadas do Arade, se fechar os olhos saturados de realidade, quase adivinho o pranto escondido entre os juncos do sapal a lavar a saudade do Al-Andaluz sitiado.


Jorge Fallorca

O livro do fim

Anúncios

~ por salamandrine em Outubro 7, 2012.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

 
%d bloggers like this: