Um anjo adorna o corpo e morde o chão

stone

Um anjo adorna o corpo e morde o chão
por não ter porte para tamanhas asas.

Cresceram-lhe excessivas de soberba
e não cuidou do barro que as sustinha.


Ruy Duarte de Carvalho

Lavra Paralela in Lavra, poesia reunida 1970/2000

 

poema roubado à teoria

Anúncios

~ por salamandrine em Abril 21, 2010.

2 Respostas to “Um anjo adorna o corpo e morde o chão”

  1. olá. finalmente espaço para a companhia do poema :)

  2. :D

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

 
%d bloggers like this: